CUIABÁ

Secretário crê que CPI do Sertanejo pode atrapalhar, mas afirma que polêmicas “devem passar rápido”

publicidade

O secretário de Estado de Cultura, Esporte e Lazer, Jefferson Neves, acredita que uma possível Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) do Sertanejo poderia atrapalhar um pouco a realização de eventos no Estado, o que contribuiria, segundo ele, para prejuízos a economia das cidades. Porém, ele crê que “as polêmicas devem passar” rápido, já que “não há nada irregular”.

Jefferson pontua que a cultura move um grande roll de trabalhadores, fomentando desde a hotelaria até bares e restaurantes. Ele lembra, inclusive, da vinda da Supercopa do Brasil para Cuiabá, que esgotou leitos de hotéis e trouxe vários turistas para a cidade.

Quanto a uma possível CPI do Sertanejo, após a divulgação de contratos vultuosos com artistas nacionais, sem licitação e algumas vezes com dinheiro que não poderia ser investido na área, o secretário crê que a situação pode atrapalhar, mas que se resolverá rápido.

“Atrapalhar acho que pode. Como temos certeza de que não tem nada irregular, essas polêmicas vão passar rápido. Estamos fazendo um trabalho de qualidade, honesto e que vai deixar marcas na história. A cadeia produtiva da cultura e do esporte tem muito a agradecer este governo”, pontuou.

O secretário comenta também que há espaço para todos nos eventos. “Até estamos brincando na secretaria que está faltando gente para a quantidade de eventos que estão acontecendo. Eu, como secretário, não consigo estar em todos os eventos. Precisamos ter esta noção também. Os artistas nacionais têm seu papel, assim como os locais”.

“Nosso governo é muito responsável com dinheiro público. Projetos que envolvem a secretaria, nossos investimentos são em som, palco, luz. Os cachês estão na média do que se paga. Temos todo um corpo técnico que faz análise dos contratos para que o dinheiro seja aplicado com responsabilidade”, explica.

Jefferson também diz que o governo não está tirando dinheiro de outros setores para investir na Cultura, Esporte e Lazer. “Se estivesse faltando, poderíamos dar razão a este tipo de crítica. Temos investimentos históricos e recordes em vários setores primordiais como Saúde, Educação, Segurança, entre outros. A Cultura e o Esporte têm seu papel, que é muito importante para a população”.

“Durante a pandemia, quando ficamos isolados em casa, o que nos salvou foi a Cultura. Precisamos saber que estas áreas são importantes”, finalizou.

Compartilhe essa Notícia

Compartilhar no facebook
Compartilhar no google
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no print
Compartilhar no email
Compartilhar no whatsapp

publicidade

publicidade

publicidade

publicidade