Rondonópolis registra a 4ª morte com suspeita de gripe H1N1

Os pacientes tiveram material coletado e encaminhado para o Lacen em Cuiabá e ainda aguarda os resultados de alguns exames
Foto: REPRODUÇÃO
Foto: REPRODUÇÃO

Por Esportes & Notícias

A Vigilância Epidemiológica registrou mais uma morte com suspeita de H1N1 nesta segunda-feira (10) na Santa Casa de Rondonópolis (220 Km de Cuiabá). Nas últimas duas semanas, a cidade já contabiliza o total de quatro óbitos com suspeita de H1N1.

O primeiro caso ocorreu no dia 27 do mês passado, onde um idoso de 64 anos que estava internado na Unidade de Pronto Atendimento (UPA) veio a óbito. O segundo laudo aconteceu dia 29, quando uma mulher de 44 anos morreu na Santa Casa, ela apresentava sintomas da doença. Um dia depois, um homem que estava internado no Hospital Regional morreu com os mesmos sintomas e ontem outro homem com os mesmos sintomas veio a óbito na Santa Casa.

Sete pessoas receberam alta médica com suspeita de H1N1, que ainda aguardam resultados dos exames. Demais casos suspeitos foram descartados. A Vigilância Epidemiológica ressalta que os pacientes tiveram material coletado e encaminhado para o Lacen em Cuiabá e ainda aguarda os resultados de alguns exames.

Segundo, a Secretaria de Saúde de Rondonópolis não há mais vacinas disponíveis nos postos.

H1N1

A gripe H1N1, ou influenza A, é provocada pelo vírus H1N1, um subtipo do influenzavírus do tipo A. Ele é resultado da combinação de segmentos genéticos do vírus humano da gripe, do vírus da gripe aviária e do vírus da gripe suína (daí o nome pelo qual ficou conhecida inicialmente), que infectaram porcos simultaneamente.

O período de incubação varia de três a cinco dias. A transmissão pode ocorrer antes de aparecerem os sintomas. Ela se dá pelo contato direto com os animais ou com objetos contaminados e de pessoa para pessoa, por via aérea ou por meio de partículas de saliva e de secreções das vias respiratórias.

Sintomas

Os sintomas da gripe H1N1 são semelhantes aos causados pelos vírus de outras gripes. No entanto, requer cuidados especiais:

  • Febre alta, acima de 38ºC, 39ºC, de início repentino;
  • Dor muscular, de cabeça, de garganta e nas articulações;
  • Irritação nos olhos;
  • Tosse;
  • Coriza;
  • Cansaço;
  • Inapetência;
  • Vômitos;
  • Diarreia.

Recomendações

Para proteger-se contra a infecção ou evitar a transmissão do vírus, o Centro de Controle e Prevenção de Doenças (CDC) recomenda:

  • Lavar frequentemente as mãos com bastante água e sabão ou desinfetá-las com produtos à base de álcool;
  • Jogar fora os lenços descartáveis usados para cobrir a boca e o nariz, ao tossir ou espirrar;
  • Evitar aglomerações e o contato com pessoas doentes;
  • Não levar as mãos aos olhos, boca ou nariz depois de ter tocado em objetos de uso coletivo;
  • Não compartilhar copos, talheres ou objetos de uso pessoal;
  • Suspender, na medida do possível, as viagens para os lugares onde haja casos da doença;
  • Procurar assistência médica, se o doente pertence a um grupo de risco e se surgirem sintomas que possam ser confundidos com os da infecção pelo vírus H1N1 da influenza tipo A. Nos outros casos, permanecer em repouso e tomar bastante líquido para garantir a boa hidratação.

Anterior

Próximo

Compartilhe essa Notícia

Compartilhar no facebook
Compartilhar no google
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no print
Compartilhar no email
Compartilhar no whatsapp

*Os comentários abaixo não representam nossa opinião.

SE GOSTOU DESSA, CONFIRA...

TOP VÍDEOS

Veja Também