CUIABÁ
25 de setembro de 2021 - 04:33

Rio: vereadores querem rever pedágio da Transolímpica

57052

Depois da votação pela encampação da Linha Amarela, ocorrida nesta terça-feira (5), os vereadores do Rio de Janeiro voltam suas atenções para outro pedágio da capital fluminense, o da Transolímpica, via construída especialmente para os Jogos Olímpicos de 2016. Além de discursos no Plenário neste sentido, alguns parlamentares deixaram claro que uma questão está ligada a outra e se mobilizam para iniciar uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Transolímpica.

“Já existe uma proposta de CPI para ela. Ainda não teve assinaturas suficientes, mas acredito que, a partir da votação de hoje, se consiga um número de assinaturas para que ela possa se viabilizar. A proposta é do vereador Brizola Neto [PSOL] e eu estou encampando a ideia e tentando ajudar a conseguir as assinaturas necessárias”, disse o vereador Fernando William (PDT), que foi presidente da CPI da Linha Amarela.

Para a vereadora Teresa Bergher (PSDB), a Câmara agora deve se debruçar sobre a questão da Transolímpica, pois só uma CPI poderá trazer informações estratégicas sobre o número de veículos que trafegam na via e o lucro da empresa concessionária.

“A Transolímpica já devia estar sendo discutida aqui também. Afinal de contas, o pedágio é exatamente no mesmo valor, de R$ 7,50, e tem duas praças de pedágio. Está na hora de se rever isso também, de se fazer uma análise profunda dessa concessão. Essas concessões normalmente são caixas-pretas e só agora, através dessa CPI que fizemos na Câmara, nós tivemos acesso a informações que antes eram totalmente desconhecidas”, disse Teresa Bergher.

O presidente da Câmara, vereador Jorge Felippe (MDB) disse que a iniciativa de se trazer o assunto à Casa deve ser do Poder Executivo, assim como foi com a Linha Amarela.

“Eu acho que é uma questão que o prefeito deve propor à Câmara. Eu também acho exorbitante o valor do pedágio da Transolímpica, como o da Linha Amarela. Basta cotejar com o que ocorre hoje na Ponte Rio-Niterói [que custa R$ 4,30, pago em um único sentido]. Você vê, flagrantemente, o exagero na cobrança desses pedágios na cidade do Rio de Janeiro”, disse Jorge Felippe.

A Transolímpica tem 26 km de extensão e liga a Barra da Tijuca e o Recreio dos Bandeirantes à Magalhães Bastos e Deodoro. Foi criada para ligar dois pólos de eventos dos Jogos Olímpicos e Paralímpicos de 2016: o Parque Olímpico da Barra e o Parque Olímpico de Deodoro.

A empresa Viario, que explora a Transolímpica, foi procurada, por meio de sua assessoria, mas até a publicação desta matéria ainda não havia se posicionado. A Viario é composta pelas empresas CCR, com 66,66% do capital, e a Invepar, com 33,34%. A Invepar também está presente na Linha Amarela, com 100% do capital, assim como no Metrô Rio, também com 100%, e no VLT do Rio de Janeiro, com 24,8%, entre outras concessionárias de rodovias pelo país.

Edição: Fábio Massalli

Anterior

Próximo

Compartilhe essa Notícia

Compartilhar no facebook
Compartilhar no google
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no print
Compartilhar no email
Compartilhar no whatsapp

*Os comentários abaixo não representam nossa opinião.

SE GOSTOU DESSA, CONFIRA...

Veja Também