CUIABÁ

Projeto garante locação social para moradores de rua, áreas de risco e de baixa renda

Locatários precisarão concordar expressamente com aluguel para o público destinado
Foto: JL Siqueira/ALMT

publicidade

Projeto de Lei (PL269/2020) de autoria do deputado estadual Dr. João, aprovado em primeira votação na sessão da última quarta-feira (18), na Assembleia Legislativa de Mato Grosso (ALMT), autoriza o Estado a implantar o Programa de Locação Social, destinado a prover moradias para população de baixa renda, principalmente os moradores de rua e de áreas de risco iminente.

“Principalmente em Cuiabá, houve um crescimento significativo de moradores de rua, como por exemplo na região da Rodoviária e no Centro da cidade. São pessoas tidas como invisíveis para a sociedade e que estão abandonadas à própria sorte. Com este projeto, nós queremos mudar esta situação e abraçar, quase que literalmente”, destaca Dr. João.

A aprovação do projeto, que ainda precisa ser aprovado em segunda votação e sancionado pelo governador Mauro Mendes (União), órgãos e entidades da administração estadual poderão: locar imóveis de particulares; propor desapropriações, a serem efetivadas pelo poder público, sempre que a situação de emergência o exigir e outorgar permissão de uso aos beneficiários do Programa de Locação Social, quando se tratar de imóvel de órgãos ou entidades da administração estadual, por prazo determinado.

O imóvel não poderá ser locado se o proprietário não concordar, expressamente, com seu repasse aos beneficiários do programa.

Terá preferencia o candidatos que comprovar: ser morador de rua; habitar em condições sub-humanas, em área de risco iminente ou ter sido sua habitação atingida por alguma espécie de catástrofe; que seus filhos estejam matriculados em escolas ou cursos educacionais regulares; ser mulher ou idoso, arrimo da família ou r idoso em estado de abandono.

Serão necessários acompanhamentos periódicos da situação familiar dos beneficiários do programa, cessando o benefício, quando a situação familiar estiver em desacordo das exigências da lei.

As despesas decorrentes da execução desta Lei correrão à conta de dotação orçamentária própria de órgãos e entidades da Administração Estadual, suplementadas se necessário.

Compartilhe essa Notícia

Compartilhar no facebook
Compartilhar no google
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no print
Compartilhar no email
Compartilhar no whatsapp

publicidade

publicidade

publicidade

publicidade