CUIABÁ

PF mira facção criminosa que patrocinou candidatura de vereador em Barra do Garças

Nove mandados de busca e apreensão e a dois mandados de prisão preventiva foram cumpridos

publicidade

A Polícia Federal de Barra deflagrou nesta quinta-feira, (23), a operação Segundo Caminho, com o intuito de apurar a participação de componentes de uma organização criminosa que patrocinou candidatura de um dos alvos ao cargo de vereador nas eleição de Barra do Garças ocorrida no ano de 2020.

A Operação Segundo Caminho, que um é desdobramento da Operação Captura de Estado, deflagrada pela Polícia Federal de Barra do Garças, em 2020, apurou a atuação de indivíduos que cometiam vários crimes afim de financiar uma facção criminosa atuante a região do Vale do Araguaia em razão de suas atividades ilícitas, pratica delitos conexos previstos na Lei de Lavagem de Capitais, na Lei de Drogas e no Código Penal.

Nove mandados de busca e apreensão e a dois mandados de prisão preventiva, expedidos pela Justiça Comum Estadual de Cuiabá foram cumpridos nas cidades de Rondonópolis, Cuiabá, Várzea Grande e Barra do Garças.

As condutas praticadas encontram tipificação no art. 1º, caput, da Lei 9.613/1998 (Lavagem de capitais), no art. 2º, caput, da Lei 12.850/2013 (Organizações Criminosas), bem como no art. 171, §2º-A, do Código Penal (Estelionato mediante Fraude Eletrônica).

Quando somadas, as penas máximas de tais delitos superam 20 (vinte) anos de reclusão. Devido a investigação envolver uma facção criminosa a Polícia Federal utilizou também três cães farejadores durante as buscas.

O nome da operação é referente a declaração de um dos alvos que afirmou que no mundo do crime existem três caminhos: a igreja, a prisão ou a morte.

Compartilhe essa Notícia

Compartilhar no facebook
Compartilhar no google
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no print
Compartilhar no email
Compartilhar no whatsapp

publicidade

publicidade

publicidade

publicidade