Nelson Barbudo busca solução pacífica para conflito em Aripuanã

A ideia de ambos é conseguir garantias das forças de segurança da retirada, por parte dos mineradores, dos equipamentos deixados na área com a desocupação.
WhatsApp-Image-2019-06-03-at-15.27.48 - Edited

Por Esportes & Notícias

O deputado federal Nelson Barbudo (PSL) tem buscado construir uma solução pacífica para o conflito deflagrado na cidade de Aripuanã (1.002 km a noroeste da Capital) após a ação das forças de segurança que desarticulou um garimpo ilegal na cidade. Ele recebeu na manhã desta terça-feira (8) o prefeito Jonas Rodrigues da Silva (PR) e já iniciou as tratativas com a Casa Civil para a resolução do problema.

A ideia de ambos é conseguir garantias das forças de segurança da retirada, por parte dos mineradores, dos equipamentos deixados na área com a desocupação. “Desde ontem (7), quando a operação foi deflagrada, coloquei minha assessoria à disposição do prefeito, viabilizando contatos junto ao ministro Ônix Lorenzoni, para conseguirmos atender a este pedido dos mineradores e do prefeito”, afirmou o parlamentar.

Nesta terça (8), o parlamentar encaminhou à Casa Civil um ofício solicitando a liberação do material, conforme requerido pelo prefeito. “Estamos extremamente preocupados com o que está acontecendo na cidade. Hoje a economia do nosso município está grande com a questão da mineração. Estamos tentando fazer com que o maquinário não seja queimado e que a retirada seja viabilizada. Sabemos que eles são trabalhadores, o comércio precisa, os moradores precisam e estamos buscando esta solução”, destacou Rodrigues.

Barbudo lembrou que tem, na Câmara dos Deputados, Projeto de Lei para regulamentar a profissão dos trabalhadores em mineração. “Agora vamos à Polícia Federal, Casa Civil, Secretaria de Governo e se preciso até ao presidente Jair Bolsonaro (PSL), para que pacifiquemos a região. Não queremos conflito, queremos buscar o resgate do material que foi apreendido. Espero que a população de Aripuanã tenha calma, paciência e que novos atos de violência não sejam registrados”.

O caso – O conflito em Aripuanã foi deflagrado após o início da segunda fase da Operação Trypes em ação conjunta com forças de segurança do Estado de Mato Grosso. Cerca de 160 policiais, além de servidores do Ibama e da Secretaria de Estado do Meio Ambiente estão na região e deverão ficar ao longo da semana.

Anterior

Próximo

Compartilhe essa Notícia

Compartilhar no facebook
Compartilhar no google
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no print
Compartilhar no email
Compartilhar no whatsapp

*Os comentários abaixo não representam nossa opinião.

SE GOSTOU DESSA, CONFIRA...

TOP VÍDEOS

Veja Também