Misael Galvão vai ao Tribunal de Justiça para tentar barrar CPI do Paletó na Camará

Ao entrar com o pedido de suspensão da CPI, Misael Galvão apresenta parecer da procuradoria da Câmara que esclarece que a CPI tem o “condão de afetar o interesse público local”.
Misael Galvão

Por Esportes e Notícias

A Comissão Parlamentar de Inquérito – CPI – do Paletó para investigar o recebimento de propina por parte do prefeito Emanuel Pinheiro (MDB), quando era deputado estadual, corre o risco de ser paralisada antes mesmo da volta do recesso dos vereadores. É que nesta terça-feira, o presidente da Câmara Municipal de Cuiabá, vereador Misael Galvão (PTB) entrou com uma ação junto ao Tribunal de Justiça de Mato Grosso, pedindo para que a investigação seja suspensa.

A decisão de dar continuidade na CPI para esclarecer o rumoroso caso do dinheiro no Paletó que o prefeito de Cuiabá teria recebido no Palácio Paiaguás, do então governador Silval Barbosa tinha sido autorizada pela desembargadora Helena Maria Bezzerra Ramos.

Ao entrar com o pedido de suspensão da CPI, Misael Galvão apresenta parecer da procuradoria da Câmara que esclarece que a CPI tem o “condão de afetar o interesse público local”.

Segundo Misael Galvão “num primeiro momento, a medida ocasiona, pela via reflexa, prejuízos diretos e indiretos à municipalidade. Segundo, porque a decisão pode gerar grave lesão à ordem administrativa da Câmara Municipal, cuja relevância já foi amplamente demonstrada pelo agravante em suas razões de apelação”. Ele alega ainda que a continuidade das investigações tende a afetar o bom relacionamento da Câmara Municipal com a Prefeitura de Cuiabá e vir a prejudicar a população mato-grossense.

Anterior

Próximo

Compartilhe essa Notícia

Compartilhar no facebook
Compartilhar no google
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no print
Compartilhar no email
Compartilhar no whatsapp

*Os comentários abaixo não representam nossa opinião.

SE GOSTOU DESSA, CONFIRA...

Veja Também