CUIABÁ
01 de maro de 2021 - 05:17

Lúdio garante que a CoronaVac é segura e pede prioridade para profissionais de saúde

O parlamentar explicou que a imunização de quem combate o covid-19 traz segurança ao sistema público de sáude
Lúdio NOVA

Por: Esportes & Notícias

O deputado estadual Lúdio Cabral (PT) conversou com a imprensa nesta segunda-feira (18), sobre o primeiro lote da vacina CoronaVac que chega esta tarde em Cuiabá: 65 mil doses. O parlamentar, que é médico sanitarista, garantiu que a vacina é segura. Portanto, a população pode tomar as duas doses com tranquilidade.

“Em todo o mundo, 30 milhões de pessoas já foram vacinadas e não apresentaram  qualquer reação adversa grave. Uma vacina para ser aprovada por ma instituição como a Anvisa precisa passar por uma série de fases e estudos científicos com rigor, que são objetos de monitoramento de toda comunidade científica e das agências responsáveis por fiscalização. Portanto, é uma vacina segura”, explicou.

Na última semana, Mato Grosso registrou 9.647 novas infecções pelo novo coronavírus. Segundo o parlamentar, se a vacinação tivesse sido antecipada, metade destas infecções não existiriam.

“Neste cenário hipotético, 4.800 pessoas sequer seriam infectadas porque a vacina permitiria ao sistema imunológico delas evitar que o vírus adentrasse em suas células. A outra metade da população (4.800) não desenvolveria a doença nem de forma moderada; nenhuma delas precisaria de internação. Os sintomas não existiriam ou seriam muito leves”, garantiu o deputado.

Na opinião do sanitarista, as primeiras doses da vacina deveriam ser aplicadas nos profissionais de saúde que estão na linha de frente do combate ao covid-19. Depois, nos demais componentes dos grupos de risco, como os idosos. o sanitarista explicou que cerca de 800 mil pessoas em todo o estado estão na linha de prioridade, mas que é preciso ter paciência neste primeiro momento.

“Se a gente analisar os grupos prioritários, o primeiro é o de trabalhadores da saúde com 77 mil pessoas. Portanto, este número de vacinas (65 mil doses) não é suficiente ainda. Na minha opinião, estas doses tem que ser destinadas aquela parcela dos trabalhadores que estão na linha de frente de enfrentamento direto ao covid-19. Na medida que novos lotes forem sendo destinados a Mato Grosso vamos ampliando os os grupos. Só os grupos prioritários tem mais de 800 mil habitantes, o que exigiria 1,6 milhão de doses da vacina. A gente ainda vai levar um tempo para alcançar a cobertura vacinal adequada, mas e preciso ter paciência”, concluiu.

O sanitarista prevê que só no final do ano (2021) as pessoas fora dos grupos de risco terão acesso a vacinação.

“O importante é isso, gradativamente os grupos mais expostos serem vacinados. Na medida em que, por exemplo, os trabalhadores da linha de frente estiverem vacinados eles não desenvolverão as formas moderada e grave da doença; isso dá segurança ao sistema de saúde. Na medida em que os idosos acima de 75 anos forem vacinados, os quadros mais graves deixaram de existir. Depois se amplia para as pessoas de 60 anos e para aquelas com cormobidades e vai se produzindo um achatamento da curva de infecção, tendo no horizonte o fim definitivo da pandemia” concluiu Lúdio Cabral.

 

 

Anterior

Próximo

Compartilhe essa Notícia

Compartilhar no facebook
Compartilhar no google
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no print
Compartilhar no email
Compartilhar no whatsapp

*Os comentários abaixo não representam nossa opinião.

SE GOSTOU DESSA, CONFIRA...

Veja Também