CUIABÁ
05 de dezembro de 2021 - 18:52

Emanuel e Juca do Guaraná criticam troca no nome dado à Ferronorte e exigem ação da Assembleia

Lei Estadual de 1998 diz que nome da ferrovia dentro de Estado deve ser Senador Vicente Vuolo; ontem, a Rumo Logística anunciou o nome de Olacyr de Moraes
Emanuel

Por Esportes & Notícias

Em conversa com a imprensa nesta terça-feira (21), o prefeito de Cuiabá, Emanuel Pinheiro (PMDB), criticou a escolha do nome dado à primeira ferrovia estadual de Mato Grosso. Ontem, em solenidade de assinatura de contrato com o Governo do Estado, enquanto se esperava que o homenageado fosse o ex-senador Vicente Vuolo (falecido em 2001), a Rumo Logística S/A contrariou as expectativas e anunciou que o nome do modal será Ferrovia de Transporte Autorizada Olacyr de Moraes (FATO), produtor que chegou a ser chamado de “Rei da Soja” e morreu em 2015.

Na sessão da Câmara os vereadores também se manifestaram demonstrando contrariedade e o presidente Juca do Guaraná vai enviar um ofício à Assembleia Legislativa.

Na solenidade realizada nessa segunda-feira (20) , o governador Mauro Mendes disse que a escolha do nome coube à concessionária e ele entendeu que a homenagem foi justa, já que o empresário Olacyr de Mores teria sido o “primeiro e verdadeiro responsável pela ferrovia chegar em Mato Grosso”. “ Eles [Rumo Logística] apelidaram e eu não entrei nesse mérito não. Tem coisa mais importante para mim, como governador, do que mexer com esse negócio do nome”, disse o governador.

Mas para Emanuel Pinheiro, na condição de governador Mauro Mendes, ao contrário do que afirmou, deveria saber o motivo da troca do nome de Vuolo por Olacyr. Ele entende que ao não se posicionar, faltou sensibilidade ao governador, que errou feio ao não admitir o papel relevante de Vicente Vuolo na luta para trazer a ferrovia ao Estado. “Quando ele [Mendes] era um menino e andava de bermuda nas ruas de Anápolis [Goiás], Vicente Vuolo já fazia história. Antes dele nascer, Vicente foi um dos prefeitos eleitos mais jovens de Cuiabá, aos 32 anos. Tinha sido deputado estadual, foi deputado federal, senador, tem uma biografia extraordinária”, declarou o prefeito.

O prefeito reconheceu em Olacyr de Moraes sua importância como grande empresário e produtor rural. Entretanto, sua história em relação à ferrovia não se compara ao papel desempenhado por Vicente Vuolo, considerado um  visionário e verdadeiro “pai da ferrovia”. Por isso, além de conclamar a população cuiabana a se rebelar contra a escolha do nome, Emanuel já conversou com o deputado estadual Wilson Santos (PSDB), que é o autor da Lei nº 7.027 (de 02.07.98), sancionada pelo então governador, Dante de Oliveira, que estabeleceu que o trecho da Ferronorte dentro do Estado levasse o nome Ferrovia Senador Vicente Emílio Vuolo.

Na conversa com Wilson Santos, que foi prefeito, deputado federal e estadual, Emanuel pediu para que ele converse com deputados na Assembleia. “Ele disse que se unindo ao Eduardo Botelho [DEM], Carlos Avalone [PSDB] e mais um deputado. E vão fazer esse resgate histórico. Não vão deixar a memória de Vuolo ser atacada de forma tão gratuita”, afirmou, o prefeito, que cobrou também o governador para que determine que a Rumo  dê o nome de Vuolo a ferrovia estadual.

CÂMARA SE POSICIONA

Na Sessão Ordinária desta terça-feira, o presidente da Casa, vereador Juca do Guaraná, também se manifestou. Ele disse que a Câmara vai enviar um ofício para a Mesa Diretora da Assembleia Legislativa, que deverá discutir o assunto na sessão desta quarta-feira. “Não se fala em ferrovia em Mato Grosso sem mencionar o senador Vuolo”, considerou.

Juca disse que respeita a biografia de Olacyr de Moraes, que foi um grande empresário e produtor rural, Porém, segundo o presidente, a biografia de Vicente Vuolo precisa ser preservada. ““Faço um pedido para a Assembleia Legislativa, para preservar a história dos nossos cuiabanos ilustres. Não deixem isso acontecer, vamos homenagear Vicente Vuolo, que é ao grande pai da ferrovia aqui em Mato Grosso”, disse o presidente da Câmara Municipal.

FILHO DE EX-SENADOR SE MANIFESTA

O filho do ex-senador Vicente Vuolo, Fracisco Vuolo,  esteve ontem presente à solenidade de assinatura de contrato para a construção da ferrovia estadual. Secretário de Agricultura, Trabalho e Desenvolvimento Econômico de Cuiabá, ele também é presidente do Fórum Pró-Ferrovia. Ao tomar conhecimento da escolha do nome da ferrovia, que não leva o de seu pai, ele não escondeu a decepção, mas preferiu não conversar com a imprensa. À noite, em um grupo de WhatsApp ele se manifestou:

“Boa noite, pessoal!

Sou suspeito para falar da luta do meu pai e o quanto ele foi debochado e teve seu nome chacoteado ao defender uma ligação ferroviária de São Paulo a Cuiabá. Em 1975, coube a ele alterar o plano nacional de viação e, em pleno governo militar, ter a sanção do então, Presidente Geisel.

Depois, como Senador, deixou o projeto da Ponte Rodoferroviária sobre o Rio Paraná pronto, e graças a esse trabalho foi possível vencer o grande obstáculo para a chegada dos trilhos a Mato Grosso. Poderia aqui fazer inúmeros relatos de ações e defesa que ele fez, mesmo sem mandato eletivo. Nem mesmo a sua grave enfermidade o fez abandonar a luta. Muitas mobilizações ele realizou quando houve a paralisação das obras inclusive, levando de ônibus a IMPRENSA, comitivas da FIEMT, CDL, EMPRESÁRIOS e várias outras com a população.

Enfim, com todo respeito ao empresário Olacyr de Moraes, mas RETIRAR o nome de alguém que foi, de forma justa, homenageado e sem dúvida é, no mínimo, um desrespeito.

De qualquer forma, recebi várias manifestações de inconformismo e qualquer alteração de nome deve passar pela Assembléia Legislativa”.

 

Anterior

Próximo

Compartilhe essa Notícia

Compartilhar no facebook
Compartilhar no google
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no print
Compartilhar no email
Compartilhar no whatsapp

*Os comentários abaixo não representam nossa opinião.

SE GOSTOU DESSA, CONFIRA...

Veja Também