Dante, orgulho de Cuiabá

Emanuel Pinheiro

Um dos maiores políticos da história do Brasil, ícone da política Mato-grossense, Dante Martins de Oliveira, estaria completando neste dia 06 de fevereiro, 68 anos de idade.

O homem das “Diretas Já” deixou seu nome marcado na história do país ao ser autor da emenda para eleições diretas para presidente da República, a maior referência na luta contra a ditadura militar e pela democratização do Brasil. O legado de Dante vive até hoje em todos que lutam por um país mais justo, democrático e melhor para todos. Dante, continua sendo uma ausência sentida para Mato Grosso como ser humano e político. A visão de futuro, empreendedorismo e pensamento estadista deixaram um grande legado para os mato-grossenses.

Dante conversava com o futuro de uma forma incrível. Foi uma das principais lideranças políticas de Mato Grosso do século XX e hoje é lembrança constante e saudade para os mais velhos e inspiração para as novas gerações.

A visão política de Dante faz falta para Mato Grosso. O estadista que amava o seu Estado, amava, torcia e trabalhava por Cuiabá. Cada ação importante, seja idealizada por ele ou por um adversário político, era comemorada por Dante, que tinha no progresso do Estado o seu principal ideal.

Dante foi uma das mais destacadas personalidades mato-grossense do cenário nacional. É possível dividir o seu legado em dois, primeiro no período da redemocratização que o tornou conhecido no Brasil, como o homem das Diretas Já. O jovem deputado federal de 32 anos que apresentou no período da Ditadura Militar, uma emenda à constituição federal que contagiou o Brasil, simbolizando um grande passo para a redemocratização, ficando nacionalmente conhecido e entrando para a história com a emenda Dante de Oliveira.

Já tendo sido deputado estadual, e conseguindo expressividade nacional conquistada como deputado federal, Dante também entrou para o hall de mato-grossenses que se tornaram ministros de Estado. Foi também duas vezes prefeito de Cuiabá e duas vezes governador de Mato Grosso. Mesmo muito jovem, ocupou todos esses cargos de prestígio, mas com visão de futuro extraordinária.

Lembro que o segundo mandato de Dante como prefeito, foi também o meu segundo como vereador. Eu era líder da oposição, sendo o único vereador da oposição. Dois anos depois, Dante se elegeu governador e eu deputado estadual, também liderei a oposição a ele na Assembleia Legislativa. Em 1998, novas eleições, Dante é reeleito governador e eu como deputado estadual, novamente liderei a oposição.

Mesmo com as posições políticas diferentes, nossa relação sempre foi de muito respeito, consideração. Dante era um visionário, um homem com intimidade com o futuro, e esse talvez é o maior legado que Dante de Oliveira deixou para Mato Grosso e suas novas gerações.

No momento em que fez uma reforma de Estado, mesmo tendo que reformular suas convicções políticas, Dante acertou, pois foi em um momento crucial para o Brasil e para Mato Grosso. E, se vivemos depois um boom econômico com o agronegócio posteriormente, foi graças ao trabalho de Dante ao equilibrar as contas públicas para depois acontecer a retomada do crescimento, que de fato ocorreu.

Nesta quinta-feira, fria e chuvosa, penso como seria maravilhoso se ele estivesse aqui para ver a Cuiabá que ajudou a construir completar 300 anos de história, de desenvolvimento.

Como prefeito de Cuiabá, se estivesse vivo nos ajudaria a superar as imensas dificuldades que ainda se impõem na agenda política estadual e nacional.

Hoje, rendo minhas homenagens à família deste estadista, uma das principais figuras políticas de Mato Grosso, orgulho de Cuiabá e de Mato Grosso. O inesquecível Dante vive em nós!

Emanuel Pinheiro, prefeito de Cuiabá

Anterior

Próximo

Compartilhe essa Notícia

Compartilhar no facebook
Compartilhar no google
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no print
Compartilhar no email
Compartilhar no whatsapp

*Os comentários abaixo não representam nossa opinião.

SE GOSTOU DESSA, CONFIRA...

Veja Também