Bia Zaneratto chega ao Palmeiras em momento mágico do futebol feminino

75962

Após a meia Andressinha, contratada pelo Corinthians, outra estrela da seleção feminina acertou o retorno ao futebol brasileiro para a temporada de 2020, e justamente para o maior rival do alvinegro. Nesta quinta (13) a atacante Bia Zaneratto foi apresentada como reforço do Palmeiras na Academia de Futebol, na Barra Funda, zona oeste de São Paulo, local de treinamento da equipe masculina.

A jogadora de 26 anos, que passou os últimos sete na Coreia do Sul, estava acertada com o Wuhan Xinjiyuan (China). Porém, o surto de coronavírus no país (com epicentro na cidade de Wuhan) impediu o retorno da imperatriz (apelido que recebeu na Coreia) à Ásia. Com isso, Bia foi emprestada pelo novo clube ao verdão até 1º de junho.

Anunciada pelo diretor de futebol feminino palmeirense, Alberto Simão, como a “melhor em atividade no Brasil”, ela recebeu a camisa 10 e comemorou a fase da modalidade no país, com mais clubes grandes envolvidos e jogadoras de seleção atuando em casa.

“Acho que é um momento mágico. O futebol feminino nunca foi tão valorizado [no Brasil]. Hoje, todos os jogos são transmitidos. Sabemos da qualidade das meninas, nós que vivemos isso há muitos anos. A Rosana [vice-campeã mundial e olímpica pela seleção, hoje no Palmeiras], que ia parar, voltou. Ela disse ‘roí o osso para caramba, e agora, na hora do bolo, na parte gostosa, eu não vou viver isso?’. Acho que esse é o momento bonito do futebol feminino, que é colher os frutos que meninas lá atrás tanto sofreram e correram atrás”, declarou.

Além de Bia e Andressinha, outras jogadoras com larga experiência na seleção também estão no futebol nacional. A lateral Tamires, por exemplo, chegou ao Corinthians no ano passado, onde já atuava a zagueira Erika. O Internacional, também em 2019, repatriou a lateral Fabi Simões e a zagueira Bruna Benites. A centroavante Cristiane, que acertou no início do mês o retorno ao Santos, tinha defendido o São Paulo na última temporada.

“Hoje, o Brasil é o lugar que está mais atrativo [para as jogadoras do país] no futebol feminino. Tem a proximidade com a Pia [Sundhage, sueca que é a técnica da seleção], que está aqui acompanhando”, disse. “Era certo que eu iria para a China. Quando mudou, as meninas começaram a me chamar, cada uma para um time [risos]. Tem umas no Corinthians, tem umas no Santos, umas no São Paulo. Então, precisava ter no Palmeiras. Essa vai ser a grandeza do futebol feminino esse ano. Todos vão querer assistir, e é assim que vai crescer”, completou.

No Palmeiras, Bia terá como base a cidade de Vinhedo, interior paulista, a cerca de 75 quilômetros da capital São Paulo, onde a equipe feminina do verdão treina e joga. Ela recordou, inclusive, de ter atuado lá em uma edição de Jogos Regionais da Juventude pelo time sub-18 de sua cidade-natal, Araraquara (SP), que, aliás, é a terra da Ferroviária, atual campeã brasileira e clube que a revelou.

Por ironia, as guerreiras grenás são as próximas rivais do alviverde pelo Brasileirão Feminino, neste domingo (16), às 15h (horário de Brasília), no estádio Nélio Bracalente, em Vinhedo. A estreia de Bia, porém, depende não só da parte física, como de seu nome aparecer no Boletim Informativo Diário (BID) da Confederação Brasileira de Futebol (CBF), liberando-a para jogo. Após duas rodadas, as palmeirenses têm um resultado positivo (4 a 0 sobre o Vitória, em Salvador) e um negativo (1 a 3 para o Corinthians, em casa).

Edição: Fábio Lisboa

Anterior

Próximo

Compartilhe essa Notícia

Compartilhar no facebook
Compartilhar no google
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no print
Compartilhar no email
Compartilhar no whatsapp

*Os comentários abaixo não representam nossa opinião.

SE GOSTOU DESSA, CONFIRA...

Veja Também