CUIABÁ

Audiências públicas da LDO 2023 têm a participação de 150 pessoas em Cuiabá

A Prefeitura de Cuiabá tem até próximo dia 30 de maio para protocolar o documento que será submetido à apreciação e aprovação da Câmara Municipal de Vereadores
Foto: Luiz Alves

publicidade

As duas audiências públicas para tratar da elaboração do relatório final da Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) exercício 2023, realizadas nos dias 18 e 19 de maio, reuniram cerca de 150 pessoas de maneira remota.  Os trabalhos são coordenados pela Secretaria de Planejamento. Nos dois dias de debates as principais demandas apresentadas foram pertinentes à  construção de praças,  obras de pavimentação, dentre outros. A Prefeitura de Cuiabá tem até próximo dia 30 de maio para protocolar o documento que será submetido à apreciação e aprovação da Câmara Municipal de Vereadores.

“Cuiabá é uma cidade pujante e por meio desse instrumento nos possibilita estabelecer as metas e as prioridades da gestão”, declarou o prefeito Emanuel Pinheiro.

O documento conta com todas as ações e projetos previstos para o próximo,  por cada Secretaria, sendo destacadas as receitas e despesas previstas para o próximo ano, além das informações sobre obras conclusas e que estão em andamento e ou fase de conclusão.

Entre as ações e projetos previstos a serem executados e implementados no ano seguinte estão a finalização do Contorno Leste, construção do elevado da Trincheira Santa Rosa e implantação de viadutos da rotatória do Centro de Eventos Pantanal e Círculo Militar.

“Encerrada a fase das audiências públicas, o próximo passo é elencar as propostas para tabulação das demandas e daí então elaborar o relatório final a ser encaminhado ao legislativo municipal. Assim como nos anos anteriores, pretendemos fazer antes do prazo estipulado pela Lei de Responsabilidade Fiscal- LRF”, explicou o secretário municipal de Planejamento, Eder Galiciani.

A receita estimada para o próximo ano é de 4.522.647.052,00 (quatro bilhões quinhentos e vinte e dois milhões seiscentos e quarenta e sete mil e cinquenta e dois reais). Este valor refere-se aos investimentos previstos, o que corresponde à soma da receita corrente, formada pela Fonte 100, mais recursos de outras fontes.

Conforme a Constituição Federal, a propositura deve conter as metas e prioridades da Administração Pública, bem como as principais orientações para a elaboração da Lei Orçamentária e demais alterações.

A Lei de Diretrizes Orçamentárias dispõe também sobre o equilíbrio entre receitas e despesas; quais critérios e formas de limitação de empenho; normas relativas ao controle de custos e à avaliação de resultados e demais condições e exigências para transferências de recursos a entidades públicas e privadas.

“Depois dessas audiências realizadas pela Prefeitura, é a vez do poder Legislativo Municipal, por meio da Comissão de Fiscalização de Acompanhamento da Execução Orçamentária, que também irá realizar os debates, propor as emendas, emitir o parecer e encaminhar para aprovação”, concluiu o secretário.

Compartilhe essa Notícia

Compartilhar no facebook
Compartilhar no google
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no print
Compartilhar no email
Compartilhar no whatsapp

publicidade

publicidade

publicidade

publicidade